Victória Vizeu faz parte do time brasileiro que vai enfrentar os Jogos Pan-Americanos

VICTÓRIA A esgrimista está entre os atletas que foram contemplados em abril de 2019 pelo Bolsa AtletaFoto: Alexandre Loureiro/COB

Com apenas 15 anos, Victória Vizeu é a atleta mais jovem da delegação brasileira nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019, no Peru. A esgrimista está entre os atletas que foram contemplados em abril de 2019 pelo Bolsa Atleta, após a suplementação de R$ 70 milhões ao orçamento inicial do programa do Ministério da Cidadania, dentro das metas prioritárias para 100 primeiros dias do governo federal. Com o adicional, a pasta dobrou o número de atletas apoiados pela iniciativa, passando de 3.058 para 6.199.

Medalhista de prata por equipes no Campeonato Pan-Americano de Esgrima 2019, Victória Vizeu faz parte do time brasileiro que vai enfrentar os Jogos Pan-Americanos. Os jogos da modalidade serão disputados entre os dias 05 e 10 de agosto, no Centro de Convenções de Lima.

“O programa Bolsa Atleta é muito importante para mim, ajuda a pagar os treinamentos no exterior e também as viagens para competição”, explicou a jovem atleta que descobriu a modalidade quando assistiu ao filme “Operação Cupido”, aos oito anos. “Apesar das cenas do filme serem muito diferentes do esporte, gostei muito da esgrima e continuei treinando”, revelou a esgrimista que competirá na espada.

Victória começou a prática a modalidade no projeto de esgrima estudantil e no Centro de Cultura Húngara. Em 2017, Vic, como é chamada pelo chefe da equipe, Alexandre Teixeira, passou a treinar no Clube Paulistano e já integra as equipes nacionais pré-cadete (até 15 anos), cadete (até 17), juvenil (até 20) e a adulta.

Renovação e experiência

Se para Victoria o Pan de Lima é uma chance importante de ganhar experiência, para a modalidade é a possibilidade de ganhar relevância no cenário continental. Isso porque entre os 15 atletas escalados para representar o país, está Nathalie Moellhausen, que no mês passado conquistou medalha inédita de ouro no Mundial de Budapeste, na Húngria. Aos 33 anos, a esgrimista ítalo-brasileira chega ao seu segundo Pan com duas medalhas na bagagem: bronze no individual e equipe conquistados em 2015, no Canadá.

Para o chefe da equipe, a presença dela em Lima será uma motivação a mais. “Certamente o nosso desempenho no Mundial empolgou a equipe, criou expectativa. Todos os atletas que estavam lá e os que não estavam também conseguiram sentir uma motivação e passaram a acreditar que eles também podem alcançar um bom resultado”, avaliou Teixeira.

Outro nome de peso na seleção brasileira é Guilherme Toldo, que irá competir na categoria de florete. No Pan-Americano, ele já foi vice-campeão (Toronto 2015) e conseguiu o duplo bronze, por equipe e individualmente, no Pan de Guadalajara, em 2011. Ele também foi campeão nos Jogos Sul-americanos Cochabamba em 2018 (individual e equipe) e nos Jogos Sul-americanos Santiago em 2014 (equipe). No Mundial da Húngria, Toldo ficou com a 15ª colocação.

Mesmo com adversários fortes pela frente, como Estados Unidos e Canadá, competitivos em todas as armas, Teixeira acredita no bom desempenho da equipe nacional. “A gente tem boa expectativa para os Jogos do Pan. A espada feminina tem boas chances. O pessoal também tem boas chances no florete masculino e feminino”, apostou.

Investimento

Victória está entre os 14 atletas da esgrima em Lima contemplados pelo Programa Bolsa Atleta, do total de 15 convocados. O investimento anual do Ministério da Cidadania nos atletas é de R$ 404,7 mil. Ao todo, são apoiados 122 atletas nacionais da modalidade, o que representa um aporte da ordem de R$ 2 milhões.

“O Bolsa Atleta veio para ajudar bastante os atletas a poderem investir na sua própria melhora”, destacou Teixeira. “Em algumas modalidades sem o Bolsa, os atletas não poderiam chegar ao seu treinamento. O programa tem essa percepção larga: para alguns é o momento de chegar ao treinamento, poder comer, e para outros poderem qualificar um pouco mais seu treinamento, sua preparação”, completou.

Ao todo, 333 dos 485 atletas brasileiros inscritos no Pan de Lima fazem parte do Bolsa Atleta. O investimento do programa federal no grupo é de R$ 14,6 milhões ao ano. Há um equilíbrio quase perfeito de gênero, com 166 homens e 167 mulheres na lista.

Em termos percentuais, 70% dos atletas de modalidades que atualmente figuram no programa dos Jogos Olímpicos recebem o incentivo da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Um contingente expressivo, de 68, faz parte da categoria mais alta do programa, a Bolsa Pódio, voltada para esportistas que figuram entre os 20 melhores do mundo em suas especialidades. Os outros estão nas categorias olímpica (83), internacional (95) e nacional (87).

Sete esgrimistas da seleção em Lima integram o Programa de Atletas de Alto Rendimento das Forças Armadas.